quinta-feira, 13 de março de 2008

Puxando o tapete

P.: Adoro meu trabalho. Só tem um probleminha: é uma puxação de tapete! Se não cuidar, vai direto para o chão… Quando menos se espera, lá vem facada pelas costas. Tem algum jeito de lidar com isto?, Dorothy, Canoas.
R.: A puxação de tapete, praga que assola 10 entre 10 empresas, ataca em todos os departamentos e funções. É aquele fulaninho “muy amigo”, mas que fala horrores de você ou simplesmente “rouba” suas idéias. Tem gente com tanto medo disto, que acaba imobilizado.

Super secreto
O senhor D. (vou omitir o nome) procurou ajuda da CBL – Câmara Brasileira do Livro. Ninguém queria publicar sua obra. Depois de muito insistir, meu pai, advogado, resolveu atendê-lo. Conforme dizia D., seu livro denunciava uma conspiração global, desvendava um segredo tão secreto, que colocava em risco o país, o planeta. Uma bomba. Sucesso garantido. Meu pai, então, propôs: -Você deixa os originais, que vou procurar uma editora. E ele retrucou: -O queeeee? Os originais são secretos, não posso deixar com ninguém!
Pois é, já tive clientes que omitiam informações, algumas fundamentais para se desenvolver uma propaganda adequada. Uma trabalheira descobrir os dados!

Concorrência desleal

É claro que na selvageria do mercado existe uma concorrência feroz, tanto nas estratégias de marketing quanta de propaganda. Por fora, tudo sorrisos. Mas na hora de conquistar um cliente, é um vale-tudo! A propaganda destaca os pontos fortes do produto ou serviço, insistindo que as outras empresa não têm aquilo, ou tem pior. E também tem a guerra de preços. Da mesma forma, quando um produto, serviço ou propaganda é bem sucedido, logo surge a concorrência para atacar, falar mal ou copiar aquilo que deu certo, mudando uma coisica qualquer. Fora os “olheiros” de plantão, investigando preços e estratégias como se fossem simples consumidores – verdadeiros dedos-duros, que orientam os contra-ataques aniquiladores.

Tem pior
Pior é quando as empresas se juntam e tentam liquidar com um concorrente que está aparecendo demais. Podem fazer guerra de preço, comprar o concorrente, estrangular a distribuição ou impedir que as matérias-primas cheguem. Isto ocorre entre as pessoas: grupinhos que se unem para acabar com a vida de alguém. Equivalentes no ambiente de trabalho: “esquecer” de avisar de uma reunião ou de uma chamada telefônica, colocar na boca do outro palavras que não foram ditas, atrasar a entrega de dados e informações e daí para frente. Faça você a sua lista.

Sobrevivendo
As empresas não dormem no ponto. Quando fazem algo bem feito, alardeiam aos quatro cantos. Alguém vai copiar? Tudo bem. Agora, o mundo já sabe de quem foi a idéia. Vira propaganda positiva. Isso é tão comum, que já é praxe no mercado. Chama-se benchmark ou benchmarket, são as melhores práticas, que merecem até prêmio. Tem mais. Fazem do inimigo, um amigo. Ou o que você pensa que são as associações de classe? Escolhem os pontos em comum e trabalham juntas por ele. Utilizam também táticas de guerrilha: ações inesperadas, que surpreendem a concorrência e o mercado, deixando os outros imobilizados. Por exemplo: antecipar uma campanha de propaganda, ou usar um merchandising criativo. As táticas de guerrilha estão na moda – vamos voltar ao assunto com alguns exemplos práticos. Enquanto isto, coloque sua imaginação em campo e prepare seu plano anti-puxação de tapete.

A Estratégia
1. Junte-se ao inimigo. Descubra pontos em comum para formar aliados: melhores salários, flexibilidade de horários, maior sociabilização e daí para frente.
2. Surpreenda. Entregue o relatório antes da data, consiga uma informação inovadora. Seja pró-ativo, enfim!
3. Invista na blindagem da sua imagem. Muita gente falando bem de você mina qualquer terrorista. Para isso, insista na sua rede de relacionamento. O benchmark prega em alto e bom som: aproveite as datas comemorativas (aniversários, fim-de-ano, etc.) para marcar presença. Lembre-se de elogiar os sucessos dos colegas, dos chefes e dos que estão abaixo de você.

17 comentários:

Chuvinha disse...

Preciso ficar vindo aqui sempre ler essas estratégias porque sou cercada por incompetentes que recebem mais do que eu...rs

Paulo Angelo disse...

Olá Ethel Scliar, tudo bem contigo?
Eu adorei seu site, muito criativo e divertido!!
Percebi que você tem uma vasta experiência com Marketing/Publicidade e resolvi te pedir uma ajudinha rs :)

Minha irmã está iniciando a faculdade e gostaria de atuar com marketing porém tem algumas dúvidas sobre o mercado de trabalho, ela fez um ano de faculdade de publicidade e propaganda porém percebeu que ela não tem habilidade para criação sabe? ela gostaria de atuar com enfoque em planejamento de marketing e precisa identificar qual a graduação que oferece os pré-requisitos para isso.

Eu falei com minha maninha e sugeri que a melhor coisa é conversar com pessoas que já atuam no mercado para conhecer exatamente quais as possibilidades, requisitos, vantagens/desvantagens de cada nicho... se puder me envie um e-mail ai te passo o contato da minha irmã ;)

pauloangelo@gmail.com

Muito Obrigado!!
beijos
Paulo Cesar

Ricardo Rayol disse...

eu sou péssimo marketeiro pessoal, tem culpa eu?

ltatilf disse...

olá... vi seus comentários no meu LiveJournal... passei aki pra retribuir sua visita.. hahah
Vc tbm estava participando da blogagem coletiva?? que legal... adorei o teu post sobre as jorandas de trabalho... se vc se interessar em aprofundar esse assunto, sobre escravidão ao trabalho procure ler os textos do grupo Krisis da Alemanha, se vc não tiver nada contra marxistas... eles ão uma boa referencia crítica...

ah, à propósito, eu adorei essa história do escritor D., achei engraçadíssima...hahahahaaa

bjossss.. e apareça mais vezes...

disse...

Scliar,
ter vivido na pele esta "Puxação"de tapete me faz saber exatamente do que se trata.Muto difícil vc se diferenciar, seja na área que for, e não sofrer um qualquer tipo de boicote...Sucesso incomoda demais ...sou designer de jóias há 10 anos,e com minha irmã criamos e inovamos muito com pedras coloridas,as cópias foram tantas que chegamos a ganhar com isto, pois tudo que viam atribuiam a nossa grife, pelo menos com o tempo acabamos sabendo como lidar com as estranhas facetas das pessoas que trabalham e convivem conosco...acabou estimulando ainda mais a nossa criatividade,mas é muito desgatante... que sirva para não fazermos o mesmo com outros... Adorei seu blog...Voltarei, beijos
P.S Muito obrigada pela visita e comentário tão oportuno.

Aninha Pontes disse...

Ethel, o importante nisso tudo, acho eu, é fazer política sempre.
Se aliar ao inimigo, o incomoda.
Muitas vezes com um pouquinho de inteligência e astúcia, conseguimos virar o jogo.
É preciso estar atento, sempre.
Não durmo com os olhos dos outros.
Muito bom seu post, tem muitos amigos que estão na ativa, e deveriam ler o que você disse aqui.
Um beijo.

Olá!! disse...

Depois da fumaça que apanhaste lá no meu blog anda consegues escrever um post destes????
;))))
Não gosto de gente que puxa o tapete, já me aconteceu e a minha reacção não foi politicamente correcta....
Beijosssssssssssss

Ana Paula Soldi disse...

Adoro as dicas e estratégias, estao servindo muito para o meu trabalho.
beijussssss

Taty simplesmente disse...

Olá...prefiro não falar do meu trabalho, o estresse é total...sempre..puxar o tapete, ah isso é facinho aqui. No mais, sou boa para lidar, quando digo que tenho um gênio terrível, é porque sou teimosa como uma mula e custo a dar o braço a tocer, no mais, sou facinha..facinha..rsrsrsrsrss bjs bom fim de semana.

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Já q deu um exemplo de livros vou ter q concordar em parte com o Sr. D. Há uns dois meses enviei um projeto para uma ONG com uma forma diferente de divulgação e etc.

Acredita que há umas duas semanas atrás o cara que divulga o livro (vou omitir nome e livro sorry) estava na TV repetindo toda a estratégia que eu tinha enviado???

Quase caí da cadeira e liguei p meu contato na hora! Ele ficou bravo, mas rimos depois porque chegamos à conculsão de q quem copia tem q ao menos entender a estratégia. Pq eles fizeram tudo torto, pegaram só parte do que foi colocado e aplicaram de forma completamente inconsequente. Nem colou.

Então, aprendemos três coisas:

- Não mostre tudo o que tem logo de cara. Mostre um pouco, mas guarde a cartada maior p qdo tiver a oportunidade certa.

- Faça sempre seu trabalho com competência, pois se puxarem seu tapete terá sempre um espaço para você.

- Ingenuidade é bonitinha em criança, em adulto é sinônimo de burrice!

Beijocas, escrevi demais! Sorry

simone corpo mente e arte disse...

Oi querida,
fiquei feliz em saber q vc. vai divulgar sobre a Nise da Silveira, fico imaginando qtas pessoas tenteram puxar o tapete dela, e ela deu a volta por cima.bjs. Simone.

nina disse...

Ethel (vc prefere Scliar?) e quando eles fazem algo do tipo cartel? horrível! não sei se estou enganada quanto ao termo, mas me refiro a quando todas as empresas tem os mesmos produtos e preços muito parecidos, e o consumidor não tem outra alternativa senão comprar aquilo que lhe é imposto... oohh,eu acho isso uma das piores coisas. Um exemplo? hhm, sapatarias populares, p ex. Odeio!! porque é tudo igualzinho. Vc olha umas 10 lojas e elas têm a mesma aparência, parece que é tudo do mesmo dono...
terrível!
beijos pra ti

Cristiane Fetter disse...

Estou precisando da ajuda dos amigos, vai lá em casa que no post você vai entender.
Se quiser é só clicar AQUI.
Obrigada,
Beijocas

dácio jaegger disse...

Querida Ethel.
Que bonito ter recebido sua visita no Chega mais, por conta da celebração do dia da Mulher, esta que tem o M maiúsculo. Vc é uma delas, haja vista o conteúdo do seu excelente Womarket. Verdade que estamos a anos-luz de distância de um mundo justo que jamais acontecerá, salvo se acabe com todas as religiões, as guerras, a politicagem, o sistema capitalista e se instaure por conta do governo o salário único, trabalho para todos, condução, assistência à saúde e diversão, moradia uniformizada e monótona, a instalação do grande olho-irmão global com chips instalados nos humanos, desde criancinhas; a deportação para a Lua ou Marte já adaptados para receber os criminosos de qualquer espécie na sua segunda infração, mais ou menos como se fez no Brasil e na Austrália, alguns anos atrás. Fiquei preocupado com seu teclado prá lá de esquisito... rs. Bom domingo e linda semana.Beijo

Sergio disse...

Olá, Ethel !( belo nome)

No caso da puxação de tapete, o melhor é identificar esse tipo de ´´amigo´´, e segundo ter sempre uma visão externa séria, sem querer mostrar que é amigo do inimigo e terceiro, nunca mostrar ou falar de seu trabalho antes. Acho que não falha.

Um beijo

Scliar disse...

Chuvinha: pois então. Temgente que diz que estes incompetentes são inteligentes. Que nada. São espertos, que é uma coisa muiiiiito diferente. Então, o negócio é aliar sua competencia ocm um tiquinho de esperteza (sem mau-caratismo, é claro!) e chegar lá! Bzus mil.

Paulo: obrigada pelo elogio. Agora, vamos as dicas para sua irmã. Quase todo mundo que entra nesta área, quer ir para criaçao, pois tem aquela imagem de glamour, o mito que a própria proganda vende. Assim, é o setor mais concorrido. É como em futebol: tem as posiçoes que aparecem mais, no entanto, todos no time são absolutamente necessários. Continuando a comparação: os sálarios são excelentes para as estrelas, mas a maioria, ganha na média, ou abaixo da média. Propaganda é um negócio, como qualquer outro. Há de tudo um pouco. Mas... as áreas com mais carência são, de fato, a de planejamento. Por que? Porque você precisa gente que concilie as duas coisas: criatividade E lógica,que goste de arte E matemmática, estatística. Não é fácil. PRecisa, também, ter uma visão holística, conhecer de tudo em propganda, uma abordagem generalistas, para "amarrar" as pontas. Gostar de ler, ficar ligado em tendências. um bom planejador é disputaíssimo no mercado. Eu tenho algum material especifico sobre isto, se ela se interessar, posso passar. Um abraço.

Ricardo: Tem sim! Não culpa (odeio esta palavra!), mas responsabilidade. Vê se concorda comigo: este mito de que só devemos fazer o que gostamos (e compensamos o restante consumindo ou criticando a sociedade de consumo kkkk) foi criado pela própria midia. Assim, ao não cuidar do seu próprio marketing, voê só está ajudando a manter o status quo! Portanto, mãos à obra e mete bala! Tem, sim, que saber se projetar no mercado. Faz parte do jogo - embora não interesse a quem está no poder. E vamos que vamos.
PS: La pro inicio do blog, eu falei sobre o menor outdoor do mundo - os cartões de visita, e tambem tem alguns sobre curriculo, em que abordo este lado marketinng pessoal. Mas sabe duma coisa? Acho que vou voltar no assunto? Tem muita gente que enfrenta dificuldades neste lado!

Ltaltif: Sim, participei da logagem (veja o post do dia 8). E obrigada pelas dicas de links! Super interessantes. Volte sempre!

Vi: nada como um depoimento pessoal para ajudar os outros. Super bacana. E é isto mesmo: nada como a competencia para calar a boca do mundo! Sucesso total com as jóias que vocês criam!

Aninha: suas dicas tambem são otimas. Ser politico (embora esta palavra esteja um pouco queimada hoje em dia) é um bom caminho. Politico no bom sentido, no setnido grego da palavra - de se viver em sociedade e interagir com os outros da melhor maneira! Bzus.

Olá: Vai me fazendo o favor de contar a sua reaçao... Kkkk Porque todas as atitudes são importantes, politicamente corretas ou não!

Ana Soldi: Que bom que as dicas estão ajudando! E pode mandar suas dúvidas, situaçoes que vive e tudo mais, ta? A experiencia de cada um ajuda os outros!

PS: O restante ja ja respondo!

Scliar disse...

E continuando...

Taty: hehehe... Gostei do "genio fácil". Tenho certeza que você dá um nó no tapete de todo mundo!

Depois dos 25: Ah, é super chato quando acontece isto. Ja aconteceu comigo também. Agora, eu faço o seguinte: registro sempre os projetos antes, mesmo que seja na forma de livro. Para quem esta no Brasil, isto é feito na Biblioteca Nacional, que possui representantes em todo o país. Os formulários estão na Internet. Peguei o endereço do escritorio de Florianopolis, que fica na Udesc. Deem uma conferida: http://www.udesc.br/udesc/eda/
OS custos sao muito baixos. Para livros, 20 reais. Enfim, já serve para começar a brigar... Mas é verdade: o que conta mesmo é a competencia! Bzus.

Simone: sim, o exemplo da Nise é ótimo! Garra sempre é mais forte que qualquer puxação de tapete.

Nina: É cartel, sim, que chama. Mas podia chamar quadrilha, não? Ou irmãos metralha! Pior é que é probido, mas este povo faz de um jeito que fica super difícil pegar. Só o coitado do consumidor é que percebe... Bzus.

Cristiane: Esta precisando deajuda par localizar os pais biologicos de um filho adotivo, na pai, para transplante de medula. Tambem esta em campanha para ampliar o numero de doações de medula. Boa sorte na busca!

Dácio: obrigada pelos elogios! Vamos nos comunicando por este mundo inter-galáctico. Quanto ao teclado... Estou fora do brasil, mexendo com mac e mais uns programas totalmente novos. Estou mais perdida que cachorro que caiu do caminhão de mudança... Boa semana!

Sérgio: ótimas dicas! Tá parecendo de quem já "penou" com algumas puxações de tapete bem dadas... Bzus!